quinta-feira, janeiro 29, 2009

Soneto da Janela

quinta-feira, janeiro 29, 2009
Todo dia ela passa à minha janela, linda e bela, eu somente a acenar
Saberá ela a alegria que me dá quando me desvia apenas o seu olhar?
Não importa como ou desde que dias a conheço
O passar, o olhar e o acenar talvez sejam só o que mereço

Hoje ela não passou e o que teria acontecido logo me preocupou
Sem medo do esquecimento ou da morte, só de outro que tenha a minha sorte
Eu estava certo e a encontrara ao lado de outrem
Um bem aventurado que destruiu meu amor com desdém

Mas outro dia, a outros olhos meu peito triste fitou
E não mais amargurado, meu coração disparou
E o que me acontecia eu até então não entendia

Mas ela à minha janela também passou, olhou e acenou
Então percebi o que sempre me marcou, o “quem” realmente não importava
O importante era ela, a mais linda e bela, somente ela... A minha janela.

16 deixaram-se levar pelo caos:

Felipe Attie disse...

Cara, essas coisas acontecem. Mas, como meu amigo Uísque sempre diz: "pra tudo tem um jeito".

Gilmara disse...

Suspiros....
me apaixonei...rss

nathália brasil :D disse...

oh! adorable *-*

Sentimental ♥ disse...

tive um grande amor q começou por uma janela... rs
beijos

Matutando disse...

O "quem" frequentemente não importa. Se o final for o que espero já esta bom.

michelle Kalif Maia disse...

fique a vontade! =*

Silas disse...

Cara, seu texto lembra meus poemas.
Eles geralmente tem sempre uma rima, torna o texto mais dinâmico e legal.
parabéns, gostei.

Amanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda disse...

Uma ode ao amor platônico pela sua própria janela...janela tu és a mais bela!
Rssrsrsrs só tu mesmo cabra!Rsrsrsrsrsr
Escuta Victor...vamos marcar um dia pra você não me zoar no meu blogue? Que tal 30 de fevereiro???
RSRSRRS
Declaro a ré inocente!
Cara, se você não fosse uma criatura bloguística do imaginário sócio-internético eu ia te dar uma voadora no peito!
RRSRSRRS
Seu louco!

Mariá ♪ disse...

Adorei! Lindo! Você escreve muito bem. E agradeço por ter visitado o meu blog, fique à vontade! Esse amor de janela é incondicional...criatividade ao extremo,mas pura sintaxe!

Bjim*

Marcella Castro disse...

Final ótimo! Gostei do texto! Um amor pela janela rsrs, creio que quando encontrares alguém por quem teus olhos também irão sempre desviar, e teu coração disparar, aí sim, a tal janela será esquecida rsrs.
Beijo!

A Flor do Sul disse...

E depois desse dia primoroso de verão
(Se verão não era acabou sendo)
Ela e eu então nos demos a mão...
E seus dedos frios me queimaram por dentro.

Marassi disse...

A pedidos, instalei o aplicativo.
Agora pode acompanhar meu blog. :D

Muito bons seus textos.

Nathália disse...

lindo lindo!

Ana Fontes disse...

Olá!
Retribuindo a visita!
Parabéns pelo blog! Muito bacana!
Estou te linkando, ok?!
Beijos

Mauro Oliveira disse...

amar, é bom, ruím é dor de cabeça, depois da bebida.
Eu também escrevo poemas, sonetos e tudo mais, gostei do seu. Vc escreve bem.

 
Escritor do Caos © 2008. Design by Pocket