quinta-feira, janeiro 08, 2009

O Verdadeiro Equilíbrio

quinta-feira, janeiro 08, 2009
O verdadeiro equilíbrio não deve estar no meio e sim no começo e no fim, quase que simultaneamente, com a mesma intensidade e na mesma quantidade.
O equilíbrio se dá exatamente através dos extremos opostos, das forças mais antagônicas existindo em momentos diferentes e em mesmo número.
É aí que se encontra o problema. Conseguir preencher a vida com o mesmo número de tristezas e alegrias. Ficar no meio disso seria não ser triste e não ser alegre, ou seja, seria não viver.
Por mais estranho que pareça, o verdadeiro equilíbrio é ter todos os sentimentos em excesso, em exagero. É preciso amar, rir e pular tanto quanto se odeia, se chora e se cai. O individuo que permanece no meio-termo disso se auto-aliena de qualquer sentimento.
Ao atingir esse equilíbrio passa-se a apreciar cada momento de dor com a certeza de que este corresponde a um momento de prazer de mesma intensidade, apenas esperando acontecer ou simplesmente já conhecido.
Por que quando rimos tentamos apreciar a fugacidade do momento e na hora da dor, o que se escolhe é permanecer sofrendo?
Quando se alcança o equilíbrio compreende-se que ambos os sentimentos são iguais, estando apenas em momentos e direções diferentes. Portanto sinta os opostos com a mesma intensidade. Aceite a dor e continue, não sofra. Mas se sofrer, quando for rir não se esqueça de dar uma boa gargalhada.

Epílogo:
O poeta William Blake disse certa vez: “A estrada do excesso leva ao palácio da sabedoria”. Ele apenas esqueceu-se de dizer que o excesso é reflexo do equilíbrio. Não o equilíbrio de estar, mas sim o equilíbrio de ser.

7 deixaram-se levar pelo caos:

Pati Grottone disse...

curti muito teus textos...e vc complementou Blake com sabedoria!
um abraço!

Séfora disse...

Concordo plenamente. Odeio gente que não se comprometa, que não assume uma posição, que não dá a cara a bater. Isso não é viver, é vegetar.

Felipe Attie disse...

Po, sei lá... sempre foi mais fácil odiar do que amar!

Pati Grottone disse...

Aahh..pq não consegue me seguir?!? Na verdade, sou nova nesse negócio de blog, sou uma "patinha" ainda...acho que deve ser alguma configuração..se tu souber/puder me dar uma luz, eu agradeceria muito!!!!
Abraçaum!

Heber disse...

Numa era de extremos, as teorias filosóficas sobre 'o caminho do meio' o que são? Nova utopia ou um novo reservatório para os excessos?
[]´s

Júnior de Paiva / Dish disse...

"Por que quando rimos tentamos apreciar a fugacidade do momento e na hora da dor, o que se escolhe é permanecer sofrendo?"

A dor produz coisas maravilhosamente belas e intensas...
Ás vezes prefiro a dor que a felicidade fugaz e passageira.
Nada do que a dor cure uma alma intensa e afogada...
Ela evolui o que chamo de dor benéfica...
A dor maléfica destrói pq não evolui o ser em nada, apenas se consta a autodestruição...
Bacana teu blog, estou acompanhando...
Abraço man, e obrigado por ler meu blog!

Miguel Barroso disse...

Concordo.


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

 
Escritor do Caos © 2008. Design by Pocket