quarta-feira, julho 07, 2010

A safadeza da mulher e os seus niveis

quarta-feira, julho 07, 2010
Obs: Já percebi que podem haver alguns desavisados achando que este texto é auto-biográfico quando na verdade é apenas um personagem que saiu da minha cabeça. Peço por favor que não leia o texto com essa idéia estúpida em mente, do contrário não perca seu tempo e vá ler Paulo Coelho. 

1
- O homem que descobriu a conspiração feminina -


Você pode me chamar de maluco, lunático, maníaco depressivo ou outra coisa qualquer, mas eu comprovei a safadeza da mulher.
Todas as mulheres são safadas, a única coisa que muda são os níveis em que esta safadeza se manifesta. Confie em mim, se você já não se decepcionou com uma mulher, meu amigo é apenas questão de tempo. Cedo ou tarde todas elas deixam cair a máscara e a traição se abate sobre sua cabeça junto ao peso dos chifres. Entenda aqui safadeza como quiser, procurei algumas definições no dicionário e encontrei: “s.f. Bras. Qualidade, ato ou dito de safado; vileza, desfaçatez, descaramento. O que é pornográfico ou imoral; imoralidade.” Eu particularmente prefiro a minha própria definição: “Vadia a quem você dedicou todo o seu amor enquanto ela comeu seu coração só para depois cuspir na sua cara.”

Você deve estar pensando: “Quem é esse cara? E como deixam um idiota escrever algo assim”. A verdade é que não vejo muita necessidade de me apresentar. Nos últimos meses não confio em ninguém e acredito que você meu caro leitor, se for homem se identificará mais facilmente com minha história e se for mulher, não corro o risco de ter uma faca atravessada no pescoço pro café da manhã. Sei que você deve estar pensando também que sou só um cara traído com complexo de Dom Casmurro e que resolveu descontar a raiva no papel. É talvez seja isso mesmo. Porém eu provei meu ponto de vista através de uma longa pesquisa e aprofundamento no assunto, me expus ao perigo, fiz anotações em um diário pessoal e consegui identificar todos os níveis de safadeza da mulher, de como elas agem apenas movidas pelo egoísmo e pelo prazer. Visitei os mais diversos lugares (dentro da cidade do Rio de Janeiro e das minhas condições de transporte é claro), conheci os mais diferentes tipos de mulheres em todas suas facetas, me camuflei entre as predadoras interpretando diversos papeis, estudei seus costumes e suas táticas de caça. Fui da mais feia à mais bonita, da patricinha à funkeira, da santa à pecadora. Aventurei-me a testar na própria pele minhas idéias, partindo do principio que todo o espécime do gênero feminino cultiva a imoralidade, e agora tenho todos os dados que preciso para fundamentar minha teoria. Todas as mulheres são safadas, só o que muda são os níveis de safadeza.

Gay? Machista? Puritano? De maneira alguma. Sou muito homem e de uns tempos para cá tenho algumas mulheres como minhas melhores amigas e confidentes, no entanto um tipo muito específico delas: as prostitutas. “Prostitutas!” Você vai exclamar. “Mas você não estava dizendo que todas as mulheres são safadas, que não prestam e etc?” Sim e continuo afirmando minha teoria categoricamente. Sou contra essa postura de inocência velada quando na verdade todas são iguais. A famosa profissional do sexo pelo menos se assume assim. Uma safada declarada doa a quem doer! Pode até parecer contraditório, mas a verdade é que estas são as únicas mulheres que nunca vão te decepcionar ou mentir para você (tirando sua mãe é claro, mas mãe não é mulher. Mãe é mãe e pronto). Acompanhe meu raciocínio: Você que já foi em alguma dessas casas de meninas alegres sem roupas (não quis falar puteiro, pois podem ter crianças lendo isso) se sentiu enganado em algum momento? Alguém te prometeu amor eterno e depois disse que tava com dor de cabeça? Tenho certeza que não. Alguns tolos acreditam que se vai a esses lugares apenas para se pagar por sexo. Isso é um terrível engano, pois na verdade, se paga para não ter que aturar os pais dela no almoço de domingo, para não gastar fortunas com presentes e jantares e para não fazer papel de idiota ligando todo dia. Simples. Eu encaro lugares assim como Casas de Praticidade. Ela não mente para mim, eu me satisfaço e vivo feliz para sempre. Quando virei cliente Vip de uma Casa de Praticidade que fica pelos arredores da lapa, algumas delas até se interessaram pela minha pesquisa e disseram me apoiar totalmente.

Saiba antes de qualquer coisa que sempre fui um homem romântico, daqueles que dizem que toda sogra gostaria de ter (por outro lado, eu nunca conheci alguém que gostasse de ter sogra, mas vá lá). Meus pais e os filmes de Hollywood me criaram acreditando em uma mulher perfeita com a qual eu casaria, teria muitos filhos, que estaria sempre linda para mim enquanto fazia o jantar e me faria companhia durante uma vida inteira de classe média. Um estereótipo digno de um seriado americano de TV. Mantive uma vida regrada, eu não bebia, não fumava e me apresentava de mãos juntas para o céu na igreja todo santo domingo. Eu quase caí nessa, meu amigo. Felizmente me desiludi antes que fosse tarde. Mais para frente, quando tivermos mais intimidade, pretendo contar o que me aconteceu (nem adianta correr os olhos pelas páginas atrás de um capítulo “A Decepção” ou “A Verdade”, não seria tão estúpido assim, não novamente), por enquanto apenas acredite que serviu de motivação suficiente para persistir na comprovação de minha teoria e escrever este diário. Diário? Não! Este é um assunto de utilidade pública! Todos devem saber a verdade que se esconde por trás das pernas charmosas e dos seios fartos. Melhor que seja um livro. Depois de acabado corro atrás de uma editora, publico e faço um bem para a humanidade. A parte dos homens pelo menos. Quem sabe até fique famoso? Rico? Tem tanta coisa ruim virando best-seller por aí. Esta é uma trama digna de Código Da Vinci, logo nada mais justo que reconhecimento pelo bem que estou fazendo e para recompensar o quanto já sofri. Já até vejo a manchete nos jornais: “O homem que descobriu a conspiração feminina.” É isso mesmo. Que seja um livro!

12 deixaram-se levar pelo caos:

Raphael Oliveira disse...

Concordo em gênero, número e grau.

Também demorei um pouco (na verdade bastante) pra perceber...

Isso é um serviço de utilidade pública!

Anônimo disse...

Procure alguém do mesmo sexo, quem sabe será feliz! Já que não conseguiu ser feliz ao lado de uma mulher! Isso demonstra que você é completamente frustrado!
;*

Kamilli Aguiar disse...

Victor Borba! Anos de estudo, hein! Então... (silêncio). Abraço!

Pati Grottone disse...

...kkkkkkkk!! Tô curiosa pra descobrir os tais "níveis" de safadeza! Serviço de utilidade pública, né? Preciso incrementar meu repertório!! hahaha...brincadeirinha!

Mas é bom ser safada, assim vcs homens nos amam mais... mulher muito certinha cansa, ainda mais vcs que adoram tentar ter aquilo que não tem. E pra finalizar, quem foi que ensinou toda essa malícia a nós mulheres? rsrs..


beijo grande!!

Naiane disse...

Fazia taaaanto tempo que eu não te lia. Acho que deu até mais paixão pra voltar a ler.
Agora, uma coisa: você descobriu isso agora?
MEU QUERIDO, somos piores do que você imagina. As vezes (as vezes, ta?), a minha raça me envergonha, mas.. no fundo, me dá orgulho saber que um homem ta indo no caminho certo.
Ai, Deus! Será você "O CARA"?
To na torcida.
Atualiza logo esse "diário", senhor Carpinejar do Caos. kkkkkkkkkkkkk

Beijos, beijos.

Naiane disse...

Eiiiiii, não chama o cara de frustrado. Ele escreve tão bonitinho e fala como se já tivesse "comido" tantas por ai.
Adoro texto completo.
Ligue, não, querido. Liiiigue, não. É intriga da oposição.

;*

Naiane disse...

Pronto! Já to toda besta aqui com a réplica e vim dar a tréplica (queria que tivesse uma "quadrélica" kkkkkk).
Gostou do texto?
É essa mania de não inventar personagens e sair falando desimbestadamente.
E olhe que sou ocupada e tudo mais. Cabeça cheeeia de coisas. Bom, né?

Obrigada.
;**

Marcelo Fabri disse...

E os níveis de safadeza?

Anônimo disse...

Eu ri litros...
Sinto vergonha por você ;x

Bianca Bigogno disse...

Adoooorei o texto e mesmo sendo mulher, concordo com você..
talvez a gente tenha aprendido com vocês, com a maioria dos homens safados, que um dia brincaram com nossos sentimentos!

Parabéns pelo blog, tô seguindo :*

Cris Cajuína disse...

kkkkkkk,
É a nossa natureza fazer o quê? E tem quem diga que aprendemos com os homens, mas o certo é que somos bem mais maliciosas. Ops.: mais só usamos de nossas safadezas com aqueles que merecem entao nem sempre se configura da maneira que vc traduz.
bjim!!!

Over Power disse...

Curti o texto. Vai lançar os capítulos seguintes?

 
Escritor do Caos © 2008. Design by Pocket