quarta-feira, agosto 11, 2010

Das coisas que eu não entendo

quarta-feira, agosto 11, 2010
Vez ou outra brigavam, ela batia a porta e dizia que dessa vez era para sempre. Ele entrava nessa fase mansa e melancólica, e a consequência disso eram rimas improvisadas e tortas que brotavam no papel a medida que as nuvens escureciam lá fora. Enquanto assistia ela ir embora e com a testa apoiada contra o vidro da janela, não sabia ao certo quem era reflexo de quem, já que as gotas de chuva batiam e escorriam em uma sincronia absurda com as lágrimas do seu rosto. E danava-se a escrever:

"Não entendo da chuva ou das previsões.
Não entendo das atitudes ou das tentações.

Não entendo da vida de antes que se acaba em um instante.
Não entendo da necessidade de uma crise constante.

Não entendo de terra, não entendo de água.
Não entendo dos motivos e nem de tanta mágoa.

Não entendo do escudo ou da desconfiança.
Não entendo da repentina mudança.

Não entendo de mim, de nós ou dos outros.
Não entendo de se preocupar com o que pensam os outros.

Não entendo das razões ou das loucuras.
Não entendo do tédio ou das aventuras.

Não entendo dos contrastes ou das crenças.
Não entendo da impaciência com as diferenças.

Apenas entendo que quanto mais amo, mais o amor se afasta.
Entendo que o amor infinito já não mais me basta."

O carro dela ficava cada vez menor na estrada enquanto as lágrimas continuavam a chover.

10 deixaram-se levar pelo caos:

Nelson Ricardo disse...

Fala aê Vitão! Pô arrebentou hein cara! show de bola.
Só falta agora a gente musicar! rs

grande abraço,

Parabéns

Felipe Attie disse...

Que bonitinho!

Bianca Bigogno disse...

Que texto liindo!
e que final maravilhoso..
Parabéns mesmo!

:*

Ana Paula disse...

Tmb n entendo nada disso...

Dani Brito disse...

Dizem que temos que dar liberdade ao amor, mas quem é que gosta de ver o amor partir?
Vitor, ótimo seu blog!
Primeira visita aqui.
=)
Beijos

M. disse...

Texto muito bom mesmo, também queria entender isso. Bj!

Anônimo disse...

Good post and this post helped me alot in my college assignement. Say thank you you for your information.

Cláudia Renata disse...

Liiindo o texto...
"Apenas entendo que quanto mais amo, mais o amor se afasta.
Entendo que o amor infinito já não mais me basta." adorei!
bjoo :*

Anônimo disse...

Amor... a cada dia fico mais impressionada com a forma maravilhosa que vc escreve! Te amo!
"Não entendo da impaciência com as diferenças." (Me descreveu!!!)

Anônimo disse...

Amor... a cada dia fico mais impressionada com a forma maravilhosa que vc escreve! Te amo!
"Não entendo da impaciência com as diferenças." (Me descreveu!!!) Tirando as outras coisas, claro!

 
Escritor do Caos © 2008. Design by Pocket