segunda-feira, novembro 03, 2008

Apresentação

segunda-feira, novembro 03, 2008
Prazer, Caos
Sou aquele que corre pra piscina na primeira chuva do dia e que em cada gota não se arrepende da água fria.
Sou aquele que não sabe sambar por acaso do Rock´ Roll mas que não deixa de tentar quando o Bezerra faz o som.
Sou aquele quem sabe que o que realmente importa é o café no final da tarde e que todo novo vento que bate à porta não precisa pedir passagem.
Sou aquele que nunca deixa o ar ocupar o lugar do vinho na garganta e que em cada gole sussurra amor no ouvido de quem dança.
Sou aquele que insiste até a esperança morrer só pra curtir a paisagem da viagem de viver.
Sou o apaixonado sem ninguém do lado, um brega orgulhoso que admite estar errado.
Sou aquele que se reflete nas bobagens que escreve, que tropeça num infinito de palavras mas nunca se perde.
Sou aquele que na terra anda descalço e no asfalto também, que não aceita rótulos nem de mim nem de ninguém.
Sou aquele em quem se permite deixar a onda quebrar, só pra sentir o gosto de sal do mar.
Sou aquele que se perde em si mesmo só pelo prazer de se reencontrar e perceber que solidão por opção é respirar o acaso em cada novo lugar.
Sou aquele que nunca se importou em não ser vegetariano e que por qualquer sinônimo de caos e liberdade vai viver e morrer cantando: “...é bonita, é bonita e é bonita.”

2 deixaram-se levar pelo caos:

Felipe Attie disse...

"Sou aquele que se perde em si mesmo só pelo prazer de se reencontrar e perceber que solidão por opção é respirar o acaso em cada novo lugar." Muito bom!

Diogo Duarte disse...

Muito bom...
Parece até um redator...rs

Sem sacanagem: muito bom mesmo!

 
Escritor do Caos © 2008. Design by Pocket